Mais da Administração
Foruns de Ajuda
Parceiros
Créditos
• Tablilla hecha por Hardrock de Savage Themes.
• Design criado por Joana Duarte. • Agradecimentos: Devianart; Savage Themes; Pottermore;

Covil

Página 2 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Seg 08 Ago 2016, 17:39

Relembrando a primeira mensagem :

O periodo de tempo entre eu sair de Portugal e chegar ao Brasil foi totalmente esquecido. Durante umas duas semanas eu não era nada mais de que um morto-vivo. A minha mãe ainda esteve um tempo comigo lá para ter a certeza que eu ficava bem. Ela não estava nada feliz com a minha decisão. Tinha chorado bastante. Eu não queria ter feito a minha mãe chorar... Mas eu prometi-lhe que ia ficar bem e que dava noticias todos os dias.

No entanto, ela obrigou-me a ir para uma escola no rio de janeiro. E foi no momento em que eu comecei a ir à escola que tudo começou a correr mal. E mesmo mal.
Logo no primeiro dia de aulas um rapaz decidiu meter-se comigo. Afinal de contas, eu naquela altura mesmo a falar português tinha um sotaque meio britânico. Depois disso eu vinha de uma família que andava na língua do mundo desde 1981. E eu também não andava com cara de quem era um rapaz bonito que vinha para ali fazer amigos. Eu não estava nada bem. Estava triste e irritado. O rapaz acabou por levar um murro no nariz. E aquilo soube-me demasiado bem. Era um bocado da frustração que eu tinha, que estava a sair fora. Deitar tudo cá para fora.

Eu tentava não pensar na Sofia. Eu tentava não pensar no que tinha acontecido. Tentava não pensar em Portugal. E aquela não foi a primeira vez que me meti em lutas. Quando dei por mim não conseguia me controlar e andava a tentar puxar lutas com toda a gente.
E isso chamou a atenção de quem não devia. Um grupo de rapazes.

Acabaram por passar semanas e semanas e a raiva só aumentava. E era dirigida a todos e a mim mesmo. E isso fez com que eu entrasse em graves problemas. Que cometesse erros enormes.
Um dia entrei numa festa com o Chase. Nem me lembro porque raios é que fui aquela festa. Precisava de tirar da cabeça tudo. Precisava de a esquecer nem que fosse só por umas horas. Eu tinha de esquecer. Ela estava a destruir-me. As saudades estavam a destruir-me.
Naquela altura tudo o que eu queria era esquecer.

A festa já tinha começado quando nós lá chegamos. Mas mal dei um passo dentro da casa senti logo o cheiro de álcool e tabaco. Eu não estava neste corpo há tempo o suficiente para ter hipótese de experimentar. Mas naquela altura também nem pensei nisso. Fiz o que Chase fez e o que os amigos dele faziam.
Foram alguns meses assim. Aos poucos já nem pensava em Portugal. Mas mesmo assim não conseguia de pensar na Sofia. E eu odiava-me por isso.
Já há tempos que não colocava os pés no apartamento que a minha mãe tinha alugado. Mas falava com ela. Senão ela vinha e tirava-me daqui. Mas não ia lá mais. Não valia a pena. Passava de festa em festa. De bebedeira a bebedeira. De luta em luta. Lutas que acabavam por não ser minhas. Eram do Chase. Porque é que eu andava com ele? Não sei. Havia algo cativante nele. A forma como ele falava. Toda a gente ou seguia-o ou tinham medo dele.

Esse tempo todo passou-me como um burrão. Eu não sabia onde andava. O que andava a fazer. Eu nem sabia que estava a entrar em algo perigoso.
Toda a gente sabe que em todos os países existe máfia. Existe traficantes, assassinos e ladrões. Bem, no Brasil o maior grupo de todos era uma alcateia de Lobisomens. Na verdade não era chamada de alcateia mas sim de bando.

Por muito que eu me tente lembrar de como fui transformado não consigo. Não me consigo lembrar do dia. Só consigo lembrar-me de pequenos flashes e de como doeu para caralho.
Sei que levaram-me para gruta. Era ao pé do mar. Lembro-me de cheira o mar. O cheiro das algas estava a dar-me vontade de vomitar.

- Onde é que vamos?

Perguntei enquanto-me puxavam. Eu estava mocado.
Sei que perguntei novamente. E que me deram um murro na barriga para me calar. Não levaram um de volta porque eram uns cinco gajos ali. Do triplo do meu tamanho. É o problema dos lobisomens. Tentam-lhes bater e partem a mão e são capazes de perder a cabeça.

A gruta era escura. No meio estava uma espécie de trono feito de rochas e ossos.

Foi ai que eu quis ir embora. Estava completamente fora de mim mas eu senti um medo de morte a olhar para aquilo.
Os meus pais eram heróis de guerra. Os meus avós eram heróis de guerra. Todos os instintos que eu herdei deles estavam a mandar-me correr para bem longe dali. Não sei com a minha sorte ainda estavam a tentar reviver o Voldemort ou assim.
Não devia de brincar com isso.
Mas estavam a agarrar-me. Não era capaz de fugir.

- Tem calma, Andrew. Não tarda juntas-te a nos.

O Chase era um tipo grande. Devia de ter para ai uns dois metros. Era um bocado magricelas mas eu já o tinha visto derrubar uns 5 gajos sozinho e sair sem um único arranhão. Não era para mais. Ele era o Alfa. Ele era o mais forte. Ele ditava as regras. Ele decidia quem morria e quem vivia. Ele era quase como o nosso deus.

Já em várias alturas ele tinha dito que eu era bom para estar ao lado dele. Que eu tinha nascido para grandes coisas. Não sei porque é que eu acreditei em tudo.

Não faço ideia de onde, mas apareceu um homem sentado no trono. Um homem alto, de pele morena, careca. Tentei cravar os meus pés na areia porque estava com medo. Não me queria aproximar mais daquele homem. Mas claro que eles eram bem mais fortes que eu. Acabei por ser arrastado e colocado de joelhos virado para ele. Mal olhei para cima, arrependi-me logo. Nunca tinha visto algo assim. Os lábios do homem estavam todos secos e enrugados. O nariz estava meio deformado, uma das narinas estava com falta de um bocado de carne. No lado esquerdo da cara via-se uma cicatriz enorme que passava pelo olho, até à boca. No entanto, o pior nem era isso. O que me assustou mais foram os olhos. Eram embaciados. Um azul eletrificante coberto por uma névoa. Parecia cego. Não olhava para nenhum lado. E metia-me um medo de morte.

Não sei que conversa é que o Chase e velho tiveram. Mas no final o velho tinha um sorriso sádico que congelou-me.

- Então és tu que vais ser o novo membro... Um pouco fracote para isso.

Eu não era capaz de falar. Estava demasiado assustado para isso. Tudo passou rápido.. O homem disse algumas palavras que eu não entendi. uma língua estranha e morta. Depois so senti alguém espetar uma espécie de flecha no meu ombro esquerdo. E depois uma dor horrível. Era como se alguém estivesse a colocar acido na ferida. Acido de sal. E isso estivesse a abrir ainda mais a ferida e a queimar tudo. Eu sentia que estava a queimar todo por dentro.

Não é para dizer que não aguentei a dor durante muito tempo. Desmaiei.





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Dom 02 Out 2016, 23:25

- Não tenho mais nada para te dizer.

E espirrei. Estava a ficar mesmo frio e abracei-me a mim própria. Sim, eu tinha raiva e tinha vontade de lhe bater. Mas não podia negar também a outra parte. Engoli em seco ao olha-lo.

- Só... Fico contente por estares bem. Admito que me custava não saber nada. Mas agora que estás aqui, mesmo que... Já não haja nada... É bom saber que estás bem.

Era o mais longe que eu conseguia ir. Ele deu a entender que ainda sentia algo por mim mas isso já não me dava segurança. Além disso eu já não queria. Ou queria? Claro que sim. Mas ainda tinha muita raiva contra ele.

- Vou embora. Vou ficar doente.

Ele era tão lindo. Estava tão bonito e grande. Quase sorri a elogia-lo mentalmente. E as covinhas continuavam lá. E aquele olhar meigo. O meu amor ainda estava ali.

- Hum.. Adeus.
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Dom 02 Out 2016, 23:36

Ela continuava a afirmar e a tentar frisar que já não havia nada entre nós. E a parte estúpida de mim quis lhe relembrar que nunca começamos nada porque ela namorava com o André. Mas se dissesse isso ainda ia fazer pior. E tinha havido alguma coisa. Ela não tinha ficado com raiva por eu ter ido embora se ela não gostasse de mim.

Pensar nisso deixou me mais calmo e acabei por sorrir sem me controlar.

- É bom saber que também estás bem.

Disse lhe ainda a sorrir. E ela depois espirrou e eu quis abraça la outra vez porque tinha sido adorável. Ela era tão linda... Estava ainda mais linda. Ou então eram as saudades. Não nao...ela estava mesmo mais linda.

- Sim, não quero que adoeças. - acenei mas depois fiz um meio sorriso daqueles que já não fazia há. Muito tempo. Aquela minha imagem de marca. - Afinal vou andar por aqui durante muito tempo.

Peguei na minha mochila e coloquei a às costas passando a mão pelo cabelo. Se as coisas que ela me disse ainda me faziam doer o coração, só o fato dela estar preocupada comigo e mesmo por ter ficado com raiva, já me deixava a sentir melhor. Porque queria dizer que em algum ponto ela se apaixonou por mim. Agora era só ter a certeza que ela voltava a fazê-lo. E nunca mais a largar.

- Até amanhã, Redbird.





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Dom 02 Out 2016, 23:43

- Sim, estou... Eu... Estou óptima.

Não conseguia dar uma resposta como deve ser com ele a sorrir daquela maneira. Tão lindo, deixava-me toda derretida. Tive de aclarar a garganta para e recompor e fazer um ar menos estúpido.

- É, eu... Já percebi isso...

Não consegui evitar fazer um pequeno sorriso. Arrependi-me logo mas não consegui evitar. Tinha de admitir que estava feliz por o ver. Era bom senti-lo perto e agradecia em silêncio por ele me ter abraçado. Mas ainda doía e eu não queria outra vez isso, então talvez pudéssemos coexistir em paz.

Mas quando ele disse o meu nome daquela maneira senti um arrepio pela espinha. Só ele para dizer o meu nome daquela forma. Não sei como era possível. Pigarreei outra vez.

- Até... Até amanhã.

Sim. Amanhã ele ia estar ali.
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Dom 09 Out 2016, 21:46

A Sofia não tinha ficado mesmo nada feliz por me ver. E isso confirmava-se por todos os olhares furtivos que ela me tinha mandado durante o almoço.
Mesmo que ela até tenha sorrido para mim ontem, eu hoje conseguia ver o quanto é que ela não queria que eu estivesse aqui.

Isso doia. Mas azar o dela. Eu não ia fugir mais. Eu ia ficar aqui. E eu ia ganhar a confiança dela outra vez.

Quando entrei de manhã para o grande salão, estava já de uniforme e ia meio ensonado em direção à mesa dos slytherin quando a minha mãe passou por mim e deu-me um beijo na testa.

- Bom dia, mãe.

E aí todas as atenções viraram-se para mim. Pelos vistos ninguém me tinha reconhecido porque bem, eu parecia diferente. Totalmente. Mas agora? Oh deus.
A mesa dos Slytherin literalmente levantou-se toda para me cumprimentar e fiquei feliz ao ver alguns que eu ainda tinha chamado de amigos naquela epoca virem ter comigo e abraçarem-me.

Quando dei por mim estava a falar com todos e já me sentia em casa. Como se tempo nenhum tivesse passado e como se eu nunca tivesse ido. Quem me dera não ter ido.
Não respondi a muitas perguntas. Só disse que tinha estado aa estudar mas sentia falta de casa.
E enquanto disse isso os meus olhos foram dar com a Sofia a olhar para mim e eles riram-se.

- Ainda não te passou isso?

Eu fiz um pequeno sorriso e passei a mão pelo cabelo, ainda a olhar para ela.

- Sinceramente? Acho que nunca vai passar.





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Ter 11 Out 2016, 14:29

Tinha passado a noite em claro. Tinha medo de adormecer e afinal tudo não passar de um sonho. Só mais um, entre muitos outros que tive durante um ano. Mas afinal não era. Quando acordei dei-me conta de que ele tinha mesmo voltado e isso atingiu-me fortemente. Olhei para os meus sapatos molhados ainda do nosso estranho reencontro, e engoli em seco.

Levantei-me a esforço para me preparar e enfrentar o dia de maneira completamente diferente, com ele ali. Mas lá fui e quando ele apareceu eu não sabia se estava feliz ou com raiva. Todos os da mesa dele se levantaram logo e foram abraça-lo. Incluindo a cabra da Raquel. Já se estava a fazer ao bife!

- Sabias que ele tinha voltado, Sofia?

As perguntas surgiam todas do nada e eu não conseguia responder sem tirar os olhos dele.

- É eu... Sim, sabia... Quer dizer... Encontrámo-nos ontem por acaso.

Os risinhos começaram logo, mas também notei preocupação delas, sabia que elas tinham medo que eu voltasse a ficar mal, sabiam aquilo que eu tinha passado por causa dele. Enquanto o olhava o meu coração apertava-se e forcei-me a desviar os olhos para elas e depois para a comida, a tentar fingir que estava tudo normal.

- Não se preocupem, está tudo resolvido, a sério. Ele sabe que não há nem vai haver nada.

Elas não acreditaram nem um bocadinho naquilo que eu estava a dizer. Nem eu.
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Dom 16 Out 2016, 19:20

Só me apercebi do quanto eu sentia falta da escola e de toda a gente e de toda esta confusão nesta manhã. Pensei que só sentia de casa e da minha familia e da Sofia. Mas só estar ali sentado como todos os outros a comer e a rir-me de coisas que nem fazem sentido. Eu sentia a falta disso. Dava para esquecer o resto. Até me fazia sentir normal.

Sentia-me em casa. Sentia-me bem. Olhei de volta para a mesa da Sofia e ela estava a olhar para mim. Não parecia muito feliz, isso doia. Mas era normal. Ela tinha me odiado por ter ido embora. E eu agora tinha que melhorar isto tudo. Porque eu não era capaz de desistir dela. Porque eu tinha toda a certeza que eu amava-a com todo o meu coração.

Eu ia agir com calma. Eu ia ser um autentico principe encantado.



Pelo menos foi o que eu pensei durante o pequeno almoço.


Depois vi o rapaz com quem ela andava a falar e esqueci-me disso tudo.

Eu tinha saido da minha primeira aula e estava confuso porque afinal de contas andei um ano sem estudar nada. E ali estava ela a falar com um gajo moreno com um sorriso de merda. Eles pareciam estar numa conversa muito amigável. Ele era o que podia dizer-se de giro. Claro que eu era muito mais, afinal de contas eu sei bem disso.
E eu não gostava nada daquilo. Ele estava encostado à parede a falar-lhe e a tocar-lhe no braço e senti uma vontade enorme de lhe arrancar o braço. Ninguém tocava na minha futura esposa.

Tive que morder o meu próprio lábio para controlar-me. Eu ainda não sabia me controlar. E não podia me transformar num monstro.

Coloquei a mochila nas costas e fui em direção deles. Coloquei a mão na parede a sorrir para a Sofia.

- Bom dia, Redbird.

Olhei de lado para o rapaz e só me aptecia rosnar. E ele também estava a olhar para mim com má cara. Ah pois é amigo. Tens concorrência. E muito melhor que tu. Ela gostava de mim. Ela já me tinha beijado.

- Mason Malfoy. - Estiquei a mão para ele.

Ele olhou para a minha mão e depois para a sofia. Ele devia de saber de alguma coisa para me estar a olhar assim. Depois fez um sorriso irónico e esticou-me a mão. Eu podia-lhe partir a mão agora. Em menos de meio segundo podia-lhe partir todos os ossos daquela mão.

- Então tu é que és o famoso Mason...

A forma como ele falou apteceu-me ainda mais lhe partir os ossos. Ah sim eu era o famoso Mason. E o famoso Mason era capaz de te mandar um murro. Filho da puta.





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Seg 17 Out 2016, 18:10

Tinha a sensação de que toda a hora do pequeno-almoço tinha sido um show para o Mason. Todos queriam a atenção dele. Todos queriam falar e estar com ele. Por um lado fiquei feliz, queria que ele se sentisse bem. Por outro fiquei ainda com mais raiva, porque significava que ele podia matar-me por dentro, fugir e ainda voltar para ser o rei do sítio sem sofrer nada.

- Que ridículo.

Até saí mais cedo do salão e fui mais cedo para a aula. Pelo menos esta não a tinha com ele. Mas ia ter outras, eu sabia isso. Só esperava que fossem poucas. Eu tinha de manter as minhas notas altas, só eu sabia o esforço que tinha sido para conseguir recuperar.

No fim dessa aula, eu e o Gonçalo saímos os dois da aula para ir para a próxima. Infelizmente, pelo menos pensei isto nesta altura, ele era da minha equipa, então tinha de atura-lo mais vezes do que aquilo que queria. Ele achou por bem tentar mais uma vez alguma coisa comigo. Como era óbvio, agora que o Mason tinha voltado eu queria ainda mais distância do Gonçalo.

- Já disse que não. Eu...

E depois mandei um salto quando ouvi a voz dele. Virei a cabeça para trás para ele.

- Bom dia, Mason.

A frase saiu-me quase num suspiro, que eu disfarcei com um tosse misturada com engasgo. Meu Deus, que ridícula. Como é que era possível o efeito que ele tinha em mim na mesma? E depois olhei para o Gonçalo, que era precisamente o rapaz que estava na selfie quase nu que o Mason tinha visto. Okay. Isto agora só podia melhorar. Quase nem ouvi as apresentações que eles fizeram. Preferia que não se tivessem apresentado de todo.

- Então tu é que és o famoso Mason.

Aquela frase atingiu-me como um murro no estômago. Ele não tinha nada que dizer aquilo. Aquilo ia gerar perguntas a que eu não queria responder. E o Gonçalo não tinha o direito de dizer aquilo daquela maneira.

Só conseguia encarar o chão e depois desviar os olhos para a janela mais próxima, como se a conversa não fosse comigo. Engoli em seco sem olha-lo e apetecia-me esmurrar o Gonçalo. Ele tinha dito aquilo de propósito para o Mason perceber que toda a gente sabia o que tinha acontecido.
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Dom 23 Out 2016, 19:32

Não conseguia parar o meu coração de acelrar quando ela me disse bom dia. Ainda mais, por ela meio que suspirar. Apesar de tudo o que ela tinha dito eu ainda acreditava que ela sentia alguma coisa por mim e que eu podia voltar a fazer com que ela se apaixonasse por mim.

Mas depois olhei para o rapaz. Ele estava com um sorriso cinico na cara que me fazia querer esmurra-lo para o tirar. Olhei melhor para ele. A cara dele não me era estranha...
Quando-me lembrei de onde era foi como se tivessem me dado um murro no estomago.
Era o rapaz da fotografia que a Sofia tinha no telemóvel quando nos encontramos ontem. Uma fotografia onde ele estava quase nu.

Senti o meu sangue todo aquecer de repente. Tive que relembrar-me para respirar fundo várias vezes antes que me passasse. Eu não tinha nada a ver com isso. Ela podia ter namorado quem ela quisssese. Não é como se tivessemos namorado ou algo assim.
Esfreguei os olhos rapidamente, preocupado se eles tivessem mudado de cor. Ainda ninguém sabia que eu era lobisomem. Nem eu queria que o soubessem. Ia levantar demasiado perguntas, perguntas a quais eu não queria ter de responder.

- Então tu é que és o famoso Mason.

A sorte foi que eu tinha a mão no bolso porque naquele momento, as minhas garras apareceram. Eu apertei a minha perna com força e senti as garras a entrarem.
O que é que ele queria dizer com aquilo?!

- Exatamente. - disse por entre dentes. A minha vontade de o esmurrar era cada vez maior. E as minhas garras ainda lá estavam. - E tu, quem és? Nunca ouvi falar de ti.

Eu nem olhava para a Sofia. Porque ela, tinha todo o direito de querer me atirar com o que aconteceu à cara. Agora um marmanjo qualquer vindo do cu de judas? Não. Ele não fazia ideia.

- Gonçalo. Cheguei há pouco tempo. - O sorriso dele não estava a ajudar-me. - Sou amigo da Sofia.

Não gostei da forma como ele disse o nome dela. Não gostei da forma de como ele olhou para ela. Quem é que ele pensava que é?!

Eu estava a ficar com demasiada raiva. E tinha medo que deixasse tudo soltar.
Olhei para a sofia que estava a olhar para a rua. Ela também não estava a gostar de nada disto.

Eu tinha que parar. Vá-lá Andrew. Tens que te controlar. Não queres magoar ainda mais a Sofia.
Eu não a podia magoar ainda mais.
Abanei a cabeça e engoli seco. As garras voltaram a esconder-se e eu agradeci as calças serem pretas para o sangue não se notar. Não tirei as mãos dos bolsos na mesma. Deviam estar com sangue.

- Ainda bem que a Sofia tem vários amigos. - Sorri ao Gonçalo. Um sorriso frio.

Mas depois voltei-me para a Sofia e senti um aperto na garganta. Eu não queria piorar nada.

- Vemos-nos depois? - Tentei a olhar para ela. Com o coração aos saltos mas ao mesmo tempo com o estomago apertado.

Se ela me dissese que não, aquele cona iria ficar feliz. E eu queria falar com ela. Por isso se ela dissese que sim eram duas vitorias.





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Dom 23 Out 2016, 19:42

Pela primeira vez tive medo do que podia acontecer. Nem sequer tinha pensado no facto de se meterem em brigas por minha causa. Eu nem valia esse esforço, por amor de Deus, não queria ver isso. Muito menos vindo do Mason.

O meu coração batia descontrolado enquanto eles trocavam frases pequenas e só conseguia pensar na guerra fria entre os EUA e a Rússia. Não se tocavam, mas no fundo estavam desejosos de saltarem para cima um do outro.

- Gonçalo, eu já te tinha falado nele.

Não quis que a frase soasse como soou. E depois de a ter dito fiquei um pouco nervosa e arrependida. Não queria que o Mason interpretasse isto mal. Ou melhor, interpretasse bem. Olhei para o Gonçalo e o sorrisinho que ele tinha na cara deixou-me nervosa. Eu acho que não conhecia bem o Mason, mas sabia que ele devia estar a controlar-se para não o esmurrar. E eu nem conseguia olhar para ele.

- Sim, eu tenho vários amigos e não gosto muito que controlem a lista.

Disse um bocado a resmungar. E depois consegui olha-lo. Foi difícil, mas consegui.

- Hum... Sim. Mas para quê?

Outra frase que não me saiu assim tão bem. Engoli em seco a olhar para ele. Para mim o Gonçalo já nem sequer estava ali. Só ele.

Mesmo assim, o que é que ele queria? Não tínhamos grande coisa para falar. Mesmo que eu durante um ano inteiro tivesse feito mil discursos raivosos preparados. Agora não me lembrava de nenhum. E não conseguia esquecer aquelas imagens que vi dele no Brasil. Isso só me fez querer esmurra-lo a ele. Só um bocadinho.
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Dom 23 Out 2016, 23:21

Quando ela disse que já tinha falado de mim a ele, fiquei durante um tempo a olhar para a Sofia confuso. O que é que isso queria dizer? Teria ela falado de como eu tinha ido. Embora? Teria ela dito que eu lhe disse que a amava e depois fui embora?

- Sim eu sei. Não esperava é que ainda falasses com ele.

Quando o gajo disse isso eu dei um passo a frente mas parei logo ao ver a cara da Sofia. Ela não queria confusões. E eu não queria lhe dar mais uma razão para ela ficar chateada comigo e me odiar. Mas ela não olhava para mim. Só olhava para o Gonçalo nervosa. E isso fazia o meu coração doer. Ela estava preocupada com ele?

Uau... Isto dói.

- Não estou a controlar nada. Acho bom teres tanta gente que se preocupa contigo. - falei lhe sincero e depois ela olhou para mim é eu prendi a minha respiração.

Eu sentia tanto a falta dela. Já me tinha apercebido ontem e outros dias mas sempre que ela olhava para mim e já não daquela maneira carinhosa fazia me querer esmurrar me tanto quanto aquele tipo.

- Gostava de falar contigo sobre uma coisa... hum... Das aulas? - menti. - a minha mãe disse que eras a melhor pessoa para me ajudar.

Já me podia dar como feliz por ela ter aceitado e estava. E o sorriso que tinha na cara não escondia isso. Podia se calhar lhe contar algumas coisas. Sentia falta de falar com ela. Queria ser amigo dela antes. Queria que ela voltasse a confiar em mim.

Ouvi o gajo tossir mas eu não olhei para ela. Queria lá saber dele para alguma coisa.

- Esperava mais de ti, Sofia. Tem cuidado com ele, ele nao parece boas notícias.

Ai olhei logo para ele furioso. Senti os meus olhos arderam e voltarem a negros.

- diz me isso na minha cara.





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Sex 28 Out 2016, 12:55

Tive de pensar depressa para conseguir corrigir a merda toda que estava a acontecer ali. Oh Deus, no que eu estou metida.

- E não falava, Gonçalo, ele não estava cá, como querias que falasse?

Perguntei já um bocado irritada. Se calhar não me saiu bem, acho que não devia ter dito aquilo daquela maneira, não queria magoar o Mason. Magoa-lo? E eu estou preocupada com isso porquê? Ele não se preocupou comigo.

- Mas ele veio falar comigo, não vou simplesmente ignora-lo.

Mesmo que devesse. Quando me meti entre eles os dois olhei para o Gonçalo com má cara e depois para o Mason.

- Ajuda-te com as aulas?

Isso ia fazer-me estar muito mais tempo com ele. Por um lado o meu coração congelou ao pensar nisso, mas no instante seguinte derreteu-se. Estar mais tempo ao pé dele. Recuperar o tempo perdido.

- Sim eu... Podemos ver o que se arranja.

Meu Deus, apetecia-me saltar para os braços dele agora. Até que vi uma expressão nos olhos dele que me assustou um bocado.

- Diz-me isso na minha cara.

Ok, essa frase ia resultar com alguém na enfermaria, eu tinha a certeza disso. Agarrei no braço do Mason antes que ele tivesse tempo de atirar as garras ao Gonçalo.

- Estou livre podemos falar agora.

Não era inteiramente verdade, mas queria que aquilo acabasse por ali.
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 00:47

Eu não sabia bem o que sentir com o que a Sofia dizia. Não sabia se ela estava a tentar me defender ou então só a tentar maneira que nós dois nos calassemos. Mas algumas coisas doiam tanto como ter sido amaldiçoado. Mesmo que eu merecesse ouvi-las e ouvir ainda pior.

- Sim eu... Podemos ver o que se arranja.

Pisquei um bocado os olhos quando a Sofia disse que ia ajudar-me com as aulas. Eu não estava a espera. E ela estava a olhar para mim não como se me quissese matar mas sim como se até gostasse da ideia. Eu não consegui controlar o meu sorriso. Afinal ela não me odiava totalmente! Eu ainda tinha uma chance de mudar o que aconteceu! Ainda tinha a chance dela me amar outra vez!

Mas a minha felicidade acabou e o meu sangue ferveu com o que o atrasado mental disse. Os meus olhos devem de ter ficado negros naquele momento. Senti aquela vontade enorme de deixar o monstro sair. Eu era capaz de terminar com a raça dele so com um dedo.

E eu vi o gajo a abrir a boca para me responder e eu já ia rosnar quando senti as mãos de alguém no meu braço. As mãos da sofia. Ela puxou-me um bocado e eu senti os meus olhos voltarem ao normal e aquela vontade parar. Desviei os olhos para ela um bocado surpreso.

- Podemos...?

Eu acho que ela queria era que eu não o matasse. Será que ela sabia que eu era capaz de o matar? Não. De certeza que não. Ela não sabia que eu era na verdade um monstro a ser temido. Eu ainda era o menino dela. Apesar de ter sido o gajo que lhe partiu o coração.

- Okay okay... Vamos para o lago?

Perguntei com o coração acelerado a olhar para ela. Estava a ignorar o olhar ardente de odio que o marmanjo me estava  a mandar. Eu não queria saber. Eu não ia estragar tudo desta vez. Ela era demasiado importante para isso. Ela era demasiado importante para mim.
Isso soava um bocado cona da minha parte. Afinal de contas eu fui me embora. Eu sabia que se dissesse estas coisas a ela, esta seria a resposta dela. Se calhar iria ser sempre isso. Se calhar eu já tinha arruinado tudo no momento em que fui embora.

Engoli em seco mas peguei na mochila dela e e entreguei-lhe. Porque eram boas maneiras.

- Vamos?





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 18:16

A cara surpresa que ele fez fez-me engolir em seco. Ele agia de forma estranha, parecia que tinha medo, como se eu fosse sei lá o quê. Mas também pode ser só da minha cabeça. Não sei, eu não andava muito bem, pois não?

- Sim, podemos.

E depois o sorriso que ele me fez derreteu-me toda e quase me pôs as pernas em gelatina.

- Tira esse sorriso da cara, Malfoy.

Disse-lhe de forma seca, mas não conseguia não sorrir também. Tentei disfarçar e virar a cara e não mostrar, mas a presença dele fazia-me feliz e nervosa ao mesmo tempo.

O Gonçalo continuava a tentar chamar a minha atenção, mas acho que já tinha percebido que não ia conseguir nada neste momento, com o Mason ali. Para ser sincera, não dava nem para compara-los. Não dava para comparar, um fazia-me sentir animada, no máxima. O outro... Bem, o outro nem sabia o que me fazia sentir. E isso era tudo, acho eu.

- Não, passeios no Lago é o que os namorados fazem. Não estás nem perto disso. Vamos para o Salão, serve perfeitamente.

E lá estava o sorriso estúpido que eu estava a tentar disfarçar. Agarrei na mala, agradecendo-lhe e segui à frente dele. O que é que podia acontecer de mal em passar mais tempo com ele? Nem consigo imaginar. Parecia que todo este ano de inferno nem tinha acontecido.

- Hum... Até logo, Gonçalo.

Despedi-me apressadamente. Coitado, a cara que ele fez deu-me pena. Mas não podia fazer nada. Entre ele e o Mason a minha escolha era um bocado óbvia. Mesmo que fosse só para estudar. Quando olhei para trás, vi-o a olhar para o Gonçalo com uma cara que deixava completamente mostrar a ideia de que ele ia ataca-lo ou assim. E ainda lhe disse qualquer coisa que eu não ouvi. Não gostei disso, ai a porra.

- Mason? Vens ou posso ir à minha vida?

Encostei-me à porta à espera dele impaciente, mas era mais pelo medo que tinha de que eles se pegassem ali.
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 19:15

- Tira esse sorriso da cara, Malfoy.

Ela disse isso um bocado seca mas eu tinha reparado que ela estava a esforçar-se para não sorrir. O que fez com que eu sorrisse ainda mais.

Olhei de esguelha para o marmanjo e ele não estava com cara nada feliz. O que me deixava ainda mais feliz. Não sei quem é que ele pensa que é mas não vai ser ele que vai afastar a Sofia de mim.

E eu já ia mandar uma piada qualquer sobre o meu sorriso quando ela disse que não iamos para o lago porque isso era o que namorados faziam e eu nem estava nem perto disso. Quase que fiz beicinho.

- Não era preciso relembrares-me disso.

Falei baixo e quando ela olhou para mim confusa eu corei e abanei a cabeça. Ela acabou por agarrar na mochila e começar a seguir pelo corredor. Só se virou para trás para dizer até logo ao gajo. Mas foi a despacha-lo o que me fez querer rir. Mesmo que sim, costasse lembrar que não eramos namorados e a culpa disso era minha por não pensar nas coisas como deve de ser e ter ido embora.

O gajo pareceu ter ficado triste com a Sofia. Azar o dele.

- Ela não te vai aceitar de volta. Eu ainda estou aqui.

- Nunca tiveste uma chance, amigo.

Disse-lhe com um sorriso irónico. Ainda tinha vontade de lhe bater. Só um murro, faze-lo engolir toda aquela mania.
E pelo olhar que ele me mandou acho que ele queria a mesma coisa. Não me importava nada. Eu era bem mais forte que ele.

Mas depois ouvi a sofia chamar-me e olhei para trás. Estava encostada à porta a bater o pé, impaciente. Isso fez me sorrir. Havia coisas que não mudavam.

- Sim vou já!

Disse e peguei na minha própria mochila indo atrás dela. Era um bom começo isto. Eu só não podia ser estupido outra vez. E ter calma. Importante é ter calma.

- Tens a certeza que queres ser vista comigo? - Ainda perguntei. Mas depois corei ao ver o olhar dela. - Não é por isso!





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 19:58

Desencostei-me da parede enquanto esperava que ele se aproximasse. Estava nervosa e curiosa ao mesmo tempo.

Quando ele me perguntou se eu queria ser vista com ele hesitei na resposta, mas depois suspirei, mas não o olhei.

- Toda a gente sabe o que aconteceu, Mason. Não é novidade nem segredo, infelizmente. Não tenho medo de ser vista contigo.

Disse encolhendo os ombros. Isso era verdade. Para ser sincera, eu tinha medo era que as pessoas começassem a dizer coisas. Mas eu já tinha aguentado muita coisa, não era agora que algumas pessoas parvas me iam lixar mais a vida.

Mas ainda bem que não encontrámos ninguém pelo caminho, poupava-me a vergonha. Vergonha, seria mesmo isso? Ou eu tinha medo que toda a gente percebesse a felicidade que me saía pelos poros? Acho que era mais isso.

- O que é que disseste ao Gonçalo?

Perguntei-lhe meio a medo, quando já andávamos pelos corredores. Queria mesmo saber, estava a martelar-me na cabeça. Ainda não conseguia olhar directamente para ele. Parecia estranho e tinha medo de me fixar nalgum ponto dele, como no sorriso, e de me perder. Não conseguia esquecer tão facilmente o que aconteceu.
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 22:13

- Toda a gente sabe o que aconteceu, Mason. Não é novidade nem segredo, infelizmente. Não tenho medo de ser vista contigo.

Ela falou encolhendo os ombros e eu senti o nó na garganta. Então toda a gente sabia? Como?

Eu estava um pouco confuso. Não sabia o que tinha acontecido com ela quando eu fui me embora. Nem ela sabia o que tinha acontecido comigo. E tinha medo de lhe perguntar e depois ter de responder a certas perguntas que eu acho que não conseguia responder já. Não era capaz de lhe explicar já o que tinha acontecido. O que eu tinha feito.

Fiquei um pouco calado pelo caminho. Estava nervoso. E ela também não olhava para mim ou falava. Até que perguntou o que é que eu tinha dito ao marmanjo.
Senti uma pontada de ciumes.

- Ele disse que não me ias aceitar de volta e que ele ainda aqui estava. - Encolhi os ombros e endireitei-me. - E eu respondi-lhe.

Se eu lhe dissese ela ia ficar irritada comigo. Tenho a certeza.

Fui andando com ela e depois parei passando a mão pelo cabelo e suspirando.

- Podemos não ir para o salão? É só pessoas a olharem e eu já não estou habituado a isso.





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 22:20

Vi como a forma como respondi o afectou. Apesar de tudo não lhe queria mal nenhum. Aliás, queria que ele sofresse pelo que me fez, por me ter trocado por brasileiras. Mas no fundo sabia que não lhe conseguia fazer mal nenhum.

- Sim, todos sabem que nós tínhamos qualquer coisa e que depois foste embora. Deixa lá, já passou, é passado.

Encolhi os ombros outra vez. Queria dar-lhe a entender que era passado e que já não me afectava.

- Eu estou bem. Tu pelos vistos estás bem. E isso é que importa.

Depois acenei com a cabeça.

- Sim, podemos ir para o jardim se quiseres.

E seguimos para lá. Também não achava boa ideia ir para um sítio cheio de gente. Não que quisesse estar sozinha com ele. Para ser sincera, isso deixava-me nervosa até.
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 22:29

Fiquei a olhar um bocado para ela e passei a mão pelo cabelo. Ainda não tinha perdido essa mania. Acho que nunca ia.

- Para mim não é assim tão passado. E não faças essa cara tu sabes muito bem que eu não vou desistir.

Disse meio sério mas com um meio sorriso. Olhei para o exterior da escola e sorri. Quantas vezes tinha imaginado este sitio?

- Tinha saudades disto. De tudo. Isto é casa.

Depois voltei a olhar para ela e sorri-lhe. Então saudades dela... Ela continuava linda. Eu queria beija-la. Eu queria sempre estar a beija-la. Queria puxa-la para os meus braços e não a largar nunca mais. Queria pedir-lhe desculpa por ter ido embora, mesmo que na altura eu tenha achado que era a melhor coisa que eu podia fazer por ela. Porque eu tinha a certeza que ela não me amava e eu só estava a magoa-la e que ela amava era o André.

Agora sentia-me tão estupido por ter ido embora e por ter pensado nisso. Podia agora estar feliz com ela mas não. Tinha passado por o inferno e ela agora estava magoada comigo. Não que eu ache que ela queira me magoar. Acho que ela só queria que eu percebesse o quanto a magoei.

Sentei-me no banco que havia no jardim a olhar para ela. A luz estava a bater lhe no cabelo e parecia uma imagem tirada do ceu. Ela era igual a um anjo. E eu queria um bocado daquela luz para mim. Um bocado não. Eu queria toda.





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 22:32

Engoli em seco quando ele falou. Odiava quando ele falava assim. Porque eu não tinha hipótese depois. Ficava sempre sem resposta. Sempre.

- Não há nada para desistir.

Disse, mas não sentia mesmo isso. Quer dizer, mais ou menos. Não me conseguia sentar num dos bancos. Preferia ficar de pé. Sentia-me menos presa. Pelo menos na presença dele.

- Então... Ajuda com as aulas?
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 22:37

- Podes te sentar, sabes? Eu não mordo.

E depois engasguei-me nas minhas próprias palavras. Como se o veneno tivesse saido dos meus dentes para me afogar.

Olhei para ela e ela estava a olhar apra mim preocupada. E depois corei um bocado passando a mão pelo cabelo.

- Pelo menos não muito. - Disse baixo e acho que ela ficou um bocado chocada. - Aulas sim! Eu preciso de ajuda.

Acenei logo mas ainda a sentir a cara vermelha e quente.

- Não assisti as aulas durante um ano e para conseguir estar como deve de ser preciso de passar aos exames do teu ano. Então... A melhor pessoa para me ajudar és tu. És a aluna mais inteligente da escola.





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 22:40

- Podes te sentar, sabes? Eu não mordo.

Fiquei a olhar para ele durante um bocado e acabei por sorrir sem conseguir evitar.

- De certeza?

Acabei por me sentar, mas não muito perto dele. Apesar de querer. Era estranho estar ao pé dele como se nada tivesse acontecido.

- Hum... Poções? E eu não sou a melhor aluna da escola.

Disse e corei muito.

- Talvez do meu ano, mas não da escola toda.

Pára de ser parva à frente dele! Ele estava tão bonito. E continuava um amor de menino. Ou pelo menos parecia.
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 22:45

Ela sentou-se ao meu lado mas mesmo assim um bocado longe. Isso deixava o meu coração apertado. Quem me dera que as coisas fossem como eram antes.

- Estás a ser humilde.

Fiz um meio sorriso a olhar para ela. Ela estava toda corada. Linda.
Estiquei a mão e dei-lhe uma festinha na cara.

- Não precisas de ficar envergonhada. É verdade. És a melhor aluna desta escola. Mas tem cuidado. Eu agora vou entrar com a força toda. - Ri-me e passei a mão pelo meu cabelo. - Vou dar-te trabalho.

Não conseguia deixar de sorrir ao pé dela. Jesus eu estava tão apaixonado. Um ano longe ainda me fez ficar com mais vontade de estar com ela. O pior é que ela não tinha a certeza disso. Mas eu ia mudar isso. Ela ainda ia-se casar comigo! Ou eu não me chamo Mason Andrew Potter Malfoy!





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 22:48

Revirei os olhos.

- Não sou humilde, Malfoy. Sou uma Redbird, lembras-te?

Disse a gozar e olhei para ele. Ele estava sentado direito, com as mãos no colo e quieto. Era estranho, ele sempre tinha sido tão... Bem... Nada sossegado.

- Vais dar-me trabalho?

Não sabia sobre que parte ele estava a fazer, mas o meu coração acelerou na mesma.

- Vamos ver isso. Deixa lá, sou forte, não me vou abaixo facilmente.
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Mason A. Potter Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 23:07

Ri-me quando ela começou a brincar comigo. Mas na verdade eu estava nervoso e acho que ela estava a oerceber isso. Afinal de contas eu estava aqui sentado sossegado. Não era normal para mim. E ela conhecia-me muito bem.

- Lembro-me. - fiz um meio sorriso. - Não me esqueci de nada de ti. E sim vou dar-te trabalho.

E comecei a ouvir o coração dela começar a bater mais rapido. Isso fez o meu também começar a bater mais rapido. Sorri meio malicioso para ela.

- Nervosa, Redbird? É da minha presença?





Does he sing to all your music... While you dance to Purple Rain? Does he do all these things...Like I used to?




Mason A. Potter Malfoy
Auror

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Sofia Redbird Malfoy em Seg 07 Nov 2016, 23:10

- Acho que não vais dar trabalho nenhum.

Mal eu sabia. Mal eu sabia que ele ia me dar as piores dores de cabeça da minha vida com mau feitio, egocentricidade, raparigas a monte e muito mais coisas. Se soubesse tudo isso antes de continuar isto tudo... Bem... Fazia exactamante tudo igual.

- Para ser sincera, sim. Quer dizer... Bem, é estranho. Eu achei que nunca mais te fosse ver e aqui estás tu.

Olhei para ele, desta vez nos olhos, e não sei como o fiz.

- Voltaste e estás mesmo aqui.
Sofia Redbird Malfoy
Vice-Director da Escola

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Covil

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum