Mais da Administração
Foruns de Ajuda
Parceiros
Créditos
• Tablilla hecha por Hardrock de Savage Themes.
• Design criado por Joana Duarte. • Agradecimentos: Devianart; Savage Themes; Pottermore;

Sala das Necessidades

Página 11 de 12 Anterior  1, 2, 3 ... , 10, 11, 12  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Sala das Necessidades

Mensagem por Escola de Magia PT em Ter 06 Set 2011, 16:40

Relembrando a primeira mensagem :




Sala das Necessidades


Se alguém questionar a directora Joana quanto a existência desta sala,
ela simplesmente irá encolher os ombros e dirá que lhe traz boas
memorias do seu tempo em Hogwarts.
A sala só se abre quando alguém
necessita muito dela, não com um simples pensamento mas algo que seja
desejado mais do que tudo ou necessitado.











Escola de Magia PT
http://escolademagiapt.portugueseforum.net
Administrador da EMPT

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Sex 24 Jun 2016, 22:35

Acenei devagar e depois levantei-me indo mexer na comida.

- Sim, já lhe passou.

Se fiquei um bocado coiso quando ela perguntou pelo meu pai? Sim. Toda a gente diz que eu sou parecido com ele. Mas eu não ia fazer o que ele fez a Raquel. Nem pensar.

- Não passavas nada.

Ri-me baixo e comecei a por a mesa.

- Não falta muito. Só deixar as batatas fazer.

Sorri-lhe e passei a mão pelo meu cabelo. Queria a impressionar.

Eu queria muitas coisas com ela.

- Então o que eu ganho se a senhorita gostar do jantar?

Perguntei a sorrir e aproximei-me dela. Ela ainda estava com as tranças que eu lhe fiz e isso fez me sorrir ainda mais. Viram na com aquelas tranças. E fui eu que as fiz.

Coloquei a minha mão por cima da dela e dei lhe um beijo na mão a sorrir.




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Convidado em Dom 26 Jun 2016, 18:26

Vi que ele não gostou muito da conversa sobre o pai dele. E não posso sensura lo. Ele sabia o que se tinha passado entre nós. Nunca lhe tinha escondido nada e tinha o avisado.

- Está bem.

Fiquei um bocado calada enquanto ele preparava o jantar. Depois ele perguntou aquilo de forma tão simples que eu tive de sorrir.

- Não sei. Diz me tu o que queres.

A resposta óbvia seria algo como "um broche"? Acho que era por isso que estávamos ali. Mais ou menos, quero dizer. Sei que não era só isso mas mesmo assim...
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Dom 26 Jun 2016, 23:39

O assunto do meu pai não era algo que eu gostasse. Não entendia como é que ele tinha feito aquilo a uma rapariga tão maravilhosa como a Raquel.
Eu sei que os meus pais foram feitos um para o outro. Eles são, apesar de tudo, almas gémeas. E ainda bem porque senão eu não tinha nascido.

O que me fazia mais confusão era o meu pai ter sido tão cona. Quer dizer ele usou a para colocar ciumes a minha mãe e depois menosprezou a.
Sei que ela também não foi nenhuma Santa mas o meu pai partiu lhe o coração...

E agora vinha eu e tentava que ela mo desse... Meio que entendia porque é que ela era assim distante comigo metade das vezes... Devia de ver que era mais um Malfoy a tentar lhe partir o coração.

Eu nunca faria isso.

Ela sorriu quando eu perguntei qual era a minha recompensa pelo jantar e perguntou o que é que eu queria.

A resposta mais básica seria alguma coisa a ver com sexo. Mas eu sabia que para isso não precisava de um jantar. Só de bater na porta do quarto dela.

- Repetir isto mais vezes. - disse com um sorriso - se gostares do jantar é claro.

Eu já devia de estar a abusar. A forçar a barra. Mas eu queria isto. Queria falar com ela. Jantar com ela e depois, com todo o prazer, em sentido literal e figurativo da coisa, ir para a cama com ela. Ou sofá. Ou chão. Ou buscando da cozinha.




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Convidado em Seg 27 Jun 2016, 23:42

Porque é que ele se metia comigo? Não fazia sentido nenhum. Porque é que, de todas as raparigas desta escola, ele tinha de se meter comigo? Ao início achei que fosse um complexo qualquer que tivesse a ver com os genes Malfoy. Não sei, eles tinham o hábito de partir corações. Eu, garantidamente, não ia deixar que me partissem o meu. Outra vez.

Mas ele não parecia assim. Era tão querido e amoroso. Quase que inocente. Não no sentido sexual, só... Inocente. Porque acho que se ele alguma vez fosse partir um coração não ia ser de propósito. Ele não parecia capaz disso. Parecia ser um rapaz de valor, a sério. E era isso que me assustava.

- Repetir isto?

Fiquei surpresa com a resposta dele. Benjamin 10 - 0 Raquel. Cada vez ficava mais surpresa com ele. Não consegui evitar um sorriso.

- Por mim tudo bem. Se a comida for boa.

Acrescentei rapidamente. Mentira, eu queria fazer isto mais vezes mesmo que o jantar fosse feijão com arroz. Que eu odeio. Só queria estar com ele.

Perceber isso fez-me um aperto no peito. Estava a afundar-me cada vez mais e quando desse por mim não me iria conseguir levantar. Engraçado, eu queria afundar-me nisto. Toda. Até à cabeça. Queria ter tudo o que ele me desse. Mas não conseguia dize-lo em voz alta. Tornava tudo demasiado real e estas coisas não resultavam comigo. Ainda menos com ele. Com o meu Benjamin.

E depois ele sorria e eu sentia os meus joelhos tremerem. Não era justo ele ter este efeito em mim. E aquele cabelo loiro. Tão lindo. E os olhos.

Deus, queria leva-lo para a cama.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Ter 28 Jun 2016, 22:22

Nunca gastei muito tempo a tentar perceber porque é que tinha ficado com interesse nela. Eu lembrava me dela mais ou menos de quando era pequeno. Uma rapariga linda que primeiro olhou feio para mim mas que depois já falava comigo e que sorria quando eu dava-lhe um beijo na bochecha.

Se o meu pai soubesse ele provavelmente ria se e dizia que era a nossa sorte apaixonarmo-nos logo em pequenos. Que quando um Malfoy ama ele ama a sério.

Não sei bem se isso é mesmo dos Malfoys mas não tenho duvidas de que a amo e é a ela que eu quero. Ela era maravilhosa... Inteligente, linda, não ligava ao que as outras pessoas diziam, era sexy e tinha um coração bom. Eu sabia disso. Já tinha visto isso. Porque ela não é fria em todos os momentos e eu amo aqueles em que ela deixa a guarda em baixo e deixa-me descobrir mais coisas sobre ela.

Ela ficou um pouco supresa quando eu disse que queria que a minha recompensa fosse repetir isto. Claro que sim. Eu queria passar mais tempo com ela! Deus... Se eu pudesse passava todo o meu tempo com ela. E depois ela sorriu e o meu coração decidiu ir correr a maratona e ela disse que tudo bem. E acrescentou um mas. Se a comida fosse boa. Eu ri-me mas feliz. Ela queria repetir isto!

- É boa sim. Vais comer e chorar por mais.

Dei-lhe um beijo na bochecha sem resistir e voltei a minha atenção para a comida. Repetir isto... Seria tão bom.

Só era melhor ainda se ela admitisse que gostava de mim porque eu sei que ela gosta... Senão não estava aqui. Mas gostava de ouvir.

Sorri um bocado enquanto mexia a comida e depois desliguei o fogão indo lavar as mãos. Eu tinha confiança que ela ia gostar.

- Está pronto! Vai lavar as mãos e senta-te - pisquei-lhe o olho.




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Convidado em Qua 29 Jun 2016, 15:14

- Hello? Que é que foi?

Ele estava a olhar para mim de forma estranha. PArecia que estava perdido no vácuop ou então a imaginar o nosso csamento. Não que isso alguma vez fosse acontecer.

Porque não?

Porque não. Simplesmente não ia. Um dia isto ia acabar. Íamos acabar com... O que quer que fosse que isto era e cada um seguia a sua vida. Pensar nisso deu-me um aperto no coração. Alguma vez ia conseguir deixar de pensar nele? Eu acho que não. Ia lembrar-me para sempre do sorriso dele e da forma como ele me tratava.

Porque é que ele não podia ser mais velho? E de outra família? E de outra escola? Ele sabia como eu era e mesmo assim não me largava. Porquê? Ele não podia ver nada de mais em mim. Ok, eu sei que sou praticamente uma deusa. Mas é para uma noite. Oud uas, no máximo. ISto dura há meses. É estranho. E bom.

- É? Ok.

Levantei-me e fui lavar as mãos. Olhei-me ao espelho e sorri. Ainda tinha as tranças que ele me tinha feito. E não tinha posto quase maquilhagem nenhuma. Houve um dia em que ele me disse que eu ficava gira sem maquilhagem. Tenho de admitir que não tinha notado que desde essa noite não tinha perdido muito tempo a tentar pôr-me bonita.

Engraçado como ele me fez mudar em algumas coisas. Eu não mudo por ninguém. E mesmo assim estas pequenas coisas queriam dizer alguma coisa. Da casa-de-banho olhei para ele. Estava a pôr comida na mesa e com um sorriso genuino e inocente a olhar para os pratos. O meu coração acelerou logo. Tão lindo. Ele era tão... O que eu queria.

Olhei outra vez ao espelho e respirei fundo. Não queria nada deixar isto ir muito longe. E ao mesmo tempo queria. E se ele fosse o meu futuro?

Ele ama-te.

Abanei a cabeça e respirei fundo outra vez. Ia jantar com ele, agradecer-lhe pelo jantar que de certeza que estava maravilhoso e depois íamos para a cama e depois eu ia embora.

Ele ama-te.

Saí da casa-de-banho e fui sentar-me ao pé dele. Estiquei a mão e mexi-lhe no cabelo mas só me apercebi quando já estava a fazê-lo. Engoli em seco ao perceber que era um gesto tão simples mas mesmo assim... Tirei a mão com o coração acelerado. Não sei se ele sentia, sabia que ele era lobisomem também. Disfarcei espreguiçando-me e depois olhei para o prato.

- Pelo menos bom aspecto tem.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Qua 29 Jun 2016, 22:55

Apercebi-me que devia de estar a olhar para ela ha algum tempo já. Mas eu não resistia. Ela era tão linda e eu estava a pensar em todas aquelas coisas sobre ela e eu não era capaz de deixar de sorrir.

- Nada nada, vamos comer.

Disse-lhe com um sorriso e passei a mão pelo cabelo.

Sentia-me mesmo feliz. Como se o natal tivesse chegado mais cedo. Ela queria repetir isto! Não conseguia conter a minha felicidade e devia parecer um toto de tanto sorrir. Devia de ficar com as bochechas a doer amanha. Mas não queria saber. Eu estava no céu.

Ela demorou um tempo na casa de banho mas também não a chamei. Sabia que as senhoras as vezes demoravam algum tempo na casa de banho. Não que eu achasse que ela devesse ir retocar a maquilhagem ou assim. Ela era totalmente linda mesmo sem maquilhagem. E eu tinha notado que ela ao pé de mim deixou de usar maquilhagem. Isso fez o meu coração aquecer-se. Ela tinha começado a acreditar em mim em pequenas coisas.

Sorri ainda mais se isso e possivel.

Depois ela saiu da casa de banho e veio sentar-se ao meu lado e eu comecei a servi-la mas senti a mão dela no meu cabelo e parei fechando os olhos. Ela estava mesmo a fazer isto? Era algo tão... Intimo não? Quer dizer ela normalmente não fazia estas coisas.
Ela deve ter-se apercebido disso porque a senti tirar a mão rapidamente e ouvi o coração dela começar a bater muito rápidamente e abri os olhos a olhar para ela a sorrir corado. Eu não percebia porque é que ela contiuava a fingir que não sentia nada por mim.

VI a espreguiçar-se e a olhar para o prato e ri baixo. Tão querida.

- E ainda sabe melhor, acredita.

Acenei devagar mas a olhar para ela entusiasmado.

- Vá prova.

Queria que ela gostasse. Eu queria que ela gostasse de tudo em mim para dizer a verdade.




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Convidado em Qui 30 Jun 2016, 00:28

Eu acho que ele tinha repado que o meu coração tinha acelerado ao fazer aquilo. Tocar-lhe no cabelo. Não é como se fosse uma carícia sexual ou assim e mesmo assim parecia uma coisa tão íntima. Demasiado carinhoso da minha parte. Eu não costumava fazer estas coisas. Mas ele fazia com que eu quisesse fazÊ-las.

- Vamos lá ver isso.

Comentei com um sorriso. Queria disfarçar o mais possível aquilo que estava a sentir agora, porque acho que, mais uma vez, se ele me pedisse em casamento eu aceitava. E via-me feliz, num futuro que incluia amor todos os dias. E isso era tão bom. Provei a comida dele e abri os olhos de surpresa. E não é que estava mesmo bom. Mas fiz um bocado de má cara a fingir.

- Já comi bem melhor no McDonalds.

Claro que era mentira, eu estava a brincar e sabia que ele percebia isso. E a prova disso foi ele ter começado a rir. Meu... Deus... Aquele riso. Era tão lindo. Tudo nele me deixava fascinada e isso era tão estúpido e ridículo. Como é que alguém como ele vem de pessoas como eles? Eu não conseguia acreditar.

- Não, a sério, está mesmo boa.

Queria esticar a mão e dar-lhe uma festinha na cara. Parecia ser a coisa certa a fazer. Era isso que se fazia o dar carinho, certo? Certo. Eu queria tanto poder dar-lhe isso. Dar-lhe tudo o que ele me pedisse. Tudo.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Sab 02 Jul 2016, 15:29

Eu ainda estava a sentir-me emio nas nuvens por ela ter me feito aquele carinho mas ela estava a tentar disfarçar. Eu sabia que ela estava porque eu já a conhecia bem.

Ela lá pegou nos talheres e eu fiquei a olhar para ela curioso e entusiasmado. Queria mesmo que ela gostasse. Eu tambem queria lhe mostrar tudo no que eu era bom com esperanças que ela caisse apaixonada por mim de uma vez por todas. Queria tanto começar a namorar com ela a sério.

Ela disse que já tinah comido melhor no Mcdonalds e eu ergui uma sobrancelha a olhar para ela mas desatei a rir logo. Eu sabia que ela estava a gozar comigo. E eu sabia que ela nem gostava assim muito de Mcdonalds.

Quando olhei de volta para ela, ela estava a olhar para mim e o meu coração acelerou. Eu conseguia ver lhe o carinho nos olhos. E isso deixava-me tão feliz. Só queria que ela mo dissese...

- Está?

Perguntei a sorrir e não resisti e dei lhe um beijo nos lábios ao de leve. Num gesto carinhoso. Eu gostava daquelas coisas. E eu acho que ela sabia disso. Daqueles pequenos gestos.

- Tenho vários talentos vês?

Disse a brincar mas ainda perto dela. Queria a encher de mimos.




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Convidado em Sab 02 Jul 2016, 15:43

Eu ainda estava entorpecida pelo riso dele. Aquele riso tão lindo, que eu amava.

Oh Deus nao! Eu disse o mesmo! Senti o meu coração acelerar logo quando me apercebi disso. Não nao não! Isso não! Não podia ser... Isto não era suposto.

E por outro lado... porque nao? Porque e que eu não podia ser feliz? Não mereço? Bem , se calhar nao.

- Sim, está mesmo mesmo bom.

Respondi lhe com um sorriso. Não era so o jantar que estava bom. Tudo estava bom. Tudo nele estava bom para mim. E isso deixava me mal disposta para ser sincera. Não aguentava isso nele... Eu não era pessoa para ele.

- Sim, tu tens imensos talentos da para ver.

E depois ele deu me beijo leve. Tão rápido e carinhoso. Desviei os olhos enquanto continuava a comer. Porque e que ele não parava de ser assim. Sentia me como uma montanha que estava a ser cada vez mais forçada e explorada sem autorização, por alguém que esperava la encontrar diamantes.

E seu eu os tivesse? E se eu realmente tivesse diamantes dentro de mim e tudo o que ele estava a tentar fazer era encontra los para mostrar o meu valor?

Não. Isso não funciona assim. Mas isto estava a ir cada vez mais longe. Eu ainda ia a tempo de dizer "ja chega" e era opção dele querer ir embora ou continuar apenas com algumas sessões.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Ter 05 Jul 2016, 23:51

A Raquel as vezes confundia me. Quer dizer no início ela não me confundia porque mantinha tudo numa relação de ser só aquilo. Era só sexo. Quando ela queria e como ela queria. E eu não me importava. Eu sempre quis mais do que aquilo mas se naquele momento era o melhor que eu podia ter então eu aceitava.

Mas ela aos poucos foi se abrindo mais. Mais um detalhe aqui, mais um gesto ali, a forma de falar, os sorrisos. E eu deixei de ter uma simples paixoneta por ela por começar a ama lá a sério e a não conseguir deixar de pensar nela - ok isso já acontecia antes mas agora era bem pior - agora eu pensava no quanto era bom ela me amar de volta. De como era bom poder beija la sempre que pudesse. Como era bom sair para a rua com ela e mostrar a toda a gente que está mulher maravilhosa era minha. Mostrar o quanto eu a amava e como queria que a minha vida avança se com ela a meu lado.

Ela disse que a comida estava boa com um sorriso tão lindo que fez o meu coração começar a acelerar. A esta medida ainda tinha um ataque cardíaco está noite. E o coração dela não estava melhor. E isso deixava me mesmo feliz.

- Entao ganhei a recompensa certo?

Perguntei com um sorriso e passei a mão pelo cabelo. Mas ela tinha ficado um pouco coisa quando eu a beijei. As vezes tinha medo de estragar tudo. De dizer algo ou fazer algo que ela achasse que era demais e que ela me afastasse.

Eu tinha tanto medo de a perder... É que ela nem imagina o que eu sinto por ela...




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Convidado em Qua 06 Jul 2016, 20:11

Eu já nem sei a partir de que momento eu deixei de vê-lo como apenas mais um. Apenas mais um para me divertir um bocado. Ele deixou de ser isso para passar a fazer parte dos meus pensamentos. Vinte e quatros horas por dia. E isto estava mesmo muito mau. Só conseguia pensar nele. Apesar de disfarçar bem eu pensava mesmo muito nele e no quanto ele significava para mim.

E isso deixava-me assustada. Era estranho estar assim ligada a alguém. E era mais estranho saber que essa pessoa queria o mesmo que eu. Que me dava o mundo se eu pedisse. Preferia todos os dias que ele fosse um enorme cabrão para eu poder facilmente seguir em frente. Eu acho que não ia conseguir seguir em frente nunca. Nunca ia deixar de pensar neste sorriso lindo e malandro ao mesmo tempo.

- Claro que ganhaste. Mereces a tua recompensa.

Limpei a boca a sorrir e levantei-me aproximando-me dele, pondo as mãos na cara dele. Por momentos, apenas por momentos, queria aceitar aquilo que ele me queria dar. Eu sei o que ele sente e devia dizer-lhe para parar. Para não deixar avançar mais porque ele se ia magoar. Mas não conseguia.

- Mereces muito mais. Mereces tanto mais...

Disse-lhe baixo, contra os lábios e doía-me admitir aquilo. Doía-me porque eu não lhe conseguia dar o que ele merecia. Pelo menos não sentia que conseguia. Mas disse-o na mesma. Queria que ele percebesse que é o menino mais precioso do mundo para mim, mesmo que não o dissesse por estas palavras.

Beijei-o levemente, sem lhe largar a cara e pus as mãos no cabelo dele. A capacidade dele para me levar dos 8 aos 80 em segundos era incrível. Nunca nenhum outro rapaz tinha conseguido fazer isso comigo.

Deus, queria ficar para sempre assim pressionada contra ele, o corpo dele mesmo colado ao meu, enquanto o beijava como se ele estivesse a desvanecer-se. Porra, isto estava a matar-me. Eu queria tudo dele! Tudo!
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Sab 09 Jul 2016, 13:11

Estava contente por ela ter gostado da comida. Com sorte começavamos a fazer isto mais vezes. Eu aceitava tudo o que viesse para dizer a verdade. E se eu pudesse passar mais tempo com ela, para mim estava tudo bem. Não conseguia parar de sorrir a olhar para ela. Nem tinha começado a comer ainda.

E depois ela limpou a boca e olhou para mim a sorrir e disse que eu tinha ganho e que merecia a minha recompensa e o meu coração voltou a acelerar. As vezes temia pelo meu coração.

- Mereço...?

Disse baixo e ela levantou-se e colocou as mãos na minha cara e eu olhei-a nos olhos a sorrir a tentar me manter calmo mas por dentro parecia que ia explodir. Quando ela era assim carinhosa comigo eu ficava logo derretido. Ela podia me mandar saltar da janela e eu fazia o de bom agrado. Estava completamente apaixonado.

Ela encostou os labios nos meus e eu fechei os olhos pondo uma mão por cima da dela. Eu queria isto a toda a hora. O amor dela e o carinho dela. Eu só queria que ela o fizesse sem ter receio de que eu seja um cabrão. Porque eu sei que nunca mas mesmo nunca ia fazer alguma coisa para a magoar. Não de proposito é claro.


Quando ela disse que eu merecia mais eu abri os olhos e olhei-a por um segundo confuso. As vezes não percebia o que ela queria dizer com as coisas. O que é que eu merecia mais?

Mas ela voltou a beijar-me devagar e eu acabei por a abraçar pela cintura carinhoso e fechei os olhos novamente.
Por mim ficava o resto da minha vida aqui. Com ela nos meus braços a beojar-me. Só nos os dois. Deus como eu queria ficar aqui com ela para sempre...




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Convidado em Ter 12 Jul 2016, 13:12

Agora era o momento de me afastar. Era o momento de lhe dizer que aquilo tudo estava a ser uma fachada e que não podia continuar. Ele não podia continuar a fingir que me amava. Mas não fiz isso. Não queria fazer isso. Ele não era fachada nenhuma!

- Sim, mereces. Mereces mesmo muito mais do que aquilo que eu te posso dar.

Saiu-me. Agora já não havia volta a dar. Não podia retirar o que disse e não estava com cabeça para inventar mais desculpas. Respirei fundo ainda muito perto dele e com as mãos na sua cara.

- Eu não te consigo dar o que precisas. Tu sabes como isto... Seja lá o que for... Começou. E não consigo mais, Benjamin. Não posso dar-te o que queres e devias mesmo afastar-te enquanto podes.

Era verdade. Era mesmo verdade. Ali os dois sozinhos eu sentia que as coisas estavam prestes a descambar e não queria. Não queria partir-lhe o coração como o fucker do pai dele fez comigo e para isso ele tinha de sair já. Antes que fosse mesmo tarde.

- Sei que ainda não te disse, porque também não sou dessas coisas, mas mereces mesmo uma rapariga de bem como tu. Olha para ti...

Queria descrevê-lo e não conseguia. Tudo o que me vinha à cabeça era perfeição. Tinha os defeitos deles mas nem sequer apareciam na imagem. Já eu não via nada em mim. Eu tinha tudo o que um rapaz queria à primeira vista e no entanto não tinha nada. Não tinha o que ele merecia para lhe oferecer.

Suspirei desviando o olhar do dele e em vez disso mexi-lhe numa madeixa de cabelo loiro. Ia ter tantas saudades de lhe tocar. Partindo do princípio de que isto iria acabar. Acho que já nem por mim podia continuar. Não valia a pena estar a mentir mais. Eu gostava dele. Gostava mesmo a sério. E isso não lhe ia fazer bem. Ele tinha de entender isso.

- Eu sei como isto começou mas também sei como vai acabar. E não vai acabar bem para ti. Desculpa, mas é a verdade e tu sabes perfeitamente disso. Aliás, eu avisei-te logo ao início.

As palavras a saírem-me da boca pareciam-me lama. Sabia que tinha de as dizer mas mesmo assim custava. Não queria ter de dizê-las. Quanto mais eu falava mais tinha a certeza de que estava tudo errado nesta história e de que ele era o que eu precisava na minha vida. Tinha imaginado aquele jantar e como iria acabar. E afinal estava tudo errado, estava tudo a sair mal. Pensei que íamos fazer amor, e afinal não.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Ter 12 Jul 2016, 14:14

Ela afastou os lábios dos meus e eu abri os olhos devagar. Ela estava a olhar para mim triste e por uns segundos senti uma pontada no coração. O que se passava?

- Raquel...?

Disse baixo e ela depois começou a falar. A dizer que eu merecia mais do que aquilo que eu lhe podia dar.

Manti-me calado a olhar para ela enquanto ela falava. Eu tinha que a deixar falar. E tinha que ouvir seja o que for que ela fosse dizer  mesmo que isso fosse me magoar. Ela tinha de o dizer. Mesmo que eu tenha a certeza de que nada que ela possa dizer vá me fazer afastar. Ainda que ela achasse que eu merecia mais que ela ou seja lá o que fosse eu sabia o que eu queria. E a única coisa que eu queria era ela. Só ela.

Vi-a respirar fundo ainda com as mãos na minha cara e eu estava a olhar para ela sem reação, só a ouvi-la. Ela falou de nao conseguir dar-me o que eu queria. E que eu devia de me afastar enquanto podia. Que eu merecia uma rapariga de bem.

Eu continuava calado a olha-la nos olhos com o coração acelerado. Ela não sabia do que estava a falar.

Ela começou a mexer-me no cabelo desviando os olhos e continuou a falar. A tentar convencer-me que isto ia acabar mal para mim. E se calhar ia. Nunca se sabe.

Ela continuava a falar mas eu vi-a os nervos nela. Como ela não parava de engolir seco e a não conseguir-me olhar nos olhos. Ela gostava tanto de mim que me estava a tentar convencer para que eu me afasta-se.

- Já acabaste?

Perguntei baixo a olhar para ela e coloquei as mãos na cara dela fazendo-a olhar para mim. Acho que pela primeira vez na minha vida eu não sabia o que dizer. Como é que eu podia convence-la que eu estou aqui para ficar?

- Eu tenho estado a controlar-me tanto, Raquel.. Tu não imaginas o quanto eu não faço e o quanto eu não digo porque eu conheço-te e sei que ias te passar. - Fiz um pequeno sorriso mas com o coração acelerado. - Mas eu não me importo. Tu pensas que escondes bem o que sentes e as vezes sim, as vezes fazes me pensar que se calhar são só coisas da minha cabeça. Mas olha para ti agora...

Puxei a cara dela para mais perto da minha a olha-la nos olhos. Ela tinha uns olhos tão hipnotizantes.

- Estás a tentar-me afastar porque acreditas que me vais magoar. Mas a escolha não é tua. A escolha é minha e eu escolho-te a ti. Eu escolho-te a ti hoje e amanha e depois e depois.

Sentia um nó na garganta e o jantar a querer sair cá para fora. Ela queria-me afastar e eu tinha medo de dizer alguma coisa que a fizesse o querer ainda mais.

- E sobre o que eu quero? Eu só te quero a ti. Não me importa que seja as escondidas. Não me importa que não vamos sair os dois. Eu quero te a ti porque és tu e não para mostrar a todo o mundo que olha arranjei uma namorada ou que alguém finalmente fez a Raquel Telles parecer um pouco mais amorosa. Eu quero te a ti. O bom e o mal.

Eu estava a deixar tudo sair cá para fora e engoli seco olhando depois para baixo. Será que eu estava a fazer pior?

- Tu dizes que não vai acabar bem para mim mas eu sei como é que isto começou para mim. E tu avisaste e mesmo assim eu continuei aqui. E eu sabia bem que isto pode acabar mal mas tenho mais esperança que acabe bem. E eu não vou desistir de ti...

Voltei a olha-la nos olhos mas desta vez com uma confiança que me veio de não sei onde. Eu não ia desistir dela. Eu ia mostrar-lhe que ela merece mais do que pensa. Merece o mundo inteiro e ainda mais. Mas eu não o ia conseguir fazer se ela me mandasse embora...




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Convidado em Ter 12 Jul 2016, 14:29

As palavras continuavam a sair-me de forma séria mas não pareciam muito convincentes. Eu não queria que ele dissesse nada. Queria que ele me ouvisse, acenasse com a cabeça a dar sinal de que me tinha entendido e que depois disso fosse embora. Me deixasse em paz de vez.

- Ouviste? Benjamin ouviste o que te disse?

Durante todo o tempo em que eu lhe disse todas as coisas que sentia. Bem, metade das coisas que sentia. As partes más que sentia. E depois ele disse o meu nome e eu tive de olhar para ele. Aquela sala estava a começar a ficar muito pequena.

- Eu... Sim, já acabei.

Acho que não tinha mais nada sobre isto para lhe dizer, já lhe tinha dito o que precisava para ele se afastar. Mas ele não o fez. Muito pelo contrário. E quando começou a falar o meu coração disparou logo.

- O quê? Mas...

Mas ele interrompia-me. Mas o que é que ele estava para ali a dizer? Não! Não não não! Não era suposto. E ao mesmo tempo queria que ele o dissesse. Ele queria-me a mim. Ele já tinha mostrado isso, muitas vezes. Queria tanto dar-lhe o mesmo. Porque é que eu não podia tentar?

Comecei a ficar com os olhos demasiado húmidos. Eu não ia chorar. Não à frente dele. Mas estava a ficar muito difícil. Merda, gostava tanto dele. E ele gostava mesmo de mim. Não! Eu devia afasta-lo! E era isso que estava a fazer, estava a tentar com tudo o que tinha fazê-lo perceber que eu não lhe ia fazer bem.

- Pára... Por favor pára.

Abanei a cabeça a olhar para baixo enquanto ele falava. Custava tanto ouvir, e eu achava que já tinha sentido o coração doer. Não se comparava a isto. Eu só tinha de aceitar o que ele me queria dar. Dar uma oportunidade para ama-lo. Sim, ama-lo. Quando ele me fez olhar para ele só consegui ficar a olhar para aqueles olhos azuis. Não ia chorar. Não ia mesmo. Depois de tanto tempo sem sentir isto porquê agora? Porquê com ele? Porque é que este rapaz me estava a fazer isto?

- Por favor...

Quando ele disse que não ia desistir de mim eu percebi que isso era verdade. O meu coração acelerou ainda mais e sentia o estômago a querer expulsar tudo. Eu juro que não queria arruinar a noite mas ela já estava arruinada desde o início. Nunca esteve destinada a ser uma noite romântica. E isso doía mais do que tudo. Tão perto e mesmo assim tão longe. Queria tanto conseguir dizer-lhe o que ele queria ouvir. E eu sentia-o, só não o dizia. Ele não merecia ser enganado para o futuro. Que futuro eu podia dar-lhe? Nenhum...
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Ter 12 Jul 2016, 14:43

Ela tinha tentado que eu parasse de falar mas eu estive calado sobre o que eu sentia durante este tempo todo. Eu tinha-lhe dado tempo e tinha tido paciencia e esperado que ela visse que eu não era mau rapaz e que não a ia magoar.

Ela estava quase a chorar enquanto eu falava e o meu coração apertou-se, eu não a queria fazer chorar.

- Se me vais tentar mandar embora ou assim precisas de ouvir isto... Eu gostava que tu disseses que gostas de mim. Gostava de ouvir dizer que me querias a mim, tudo o que isso está incluido... - Dei-lhe uma festinha na cara ainda a olhar para ela. - Mas eu tenho paciencia. E se calhar não consegues dizer isso hoje mas eu tenho confiança sufeciente para nós os dois.

Falei serio e voltei a fazer com que ela olhasse para mim encostando a minha testa na dela. Eu já não media o que estava a dizer. Estava tudo a sair cá para fora e agora fosse o que deus quissese. Porque o que eu queria era ela.

- Eu não me vou embora. Eu não vou desistir de ti. Eu não vou desistir de nós. E tu vais parar de me tentar proteger de uma coisa que ninguém sabe se vai acontecer ou não. Porque tu achas tanto que vais estragar tudo mas tens tantas hipoteses como eu. E eu tenho a coragem necessária para arriscar.

Fiquei a respirar um bocado depressa quando acabei de falar. Mas parecia que me tinha saido um peso de cima. Tinha lhe dito tudo.

- Não podes nem vais escolher por mim, Raquel.

Disse por último e beijei-a levemente.




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Convidado em Qua 13 Jul 2016, 00:33

Está conversa estava a ser demasiado para o meu coração. E eu nem sabia que tinha um até conhecer este rapaz maravilhoso que está a minha frente. Enquanto ele falava o meu corpo nem reagia, so conseguia ficar muito quieta a olha lo.

- Eu gosto de ti.

Saiu me quando ele disse aquilo. Simplesmente saiu me. Era a primeira vez que eu o dizia e sabia bem. Senti me estranha ao dize lo e uma lágrima caiu me sem que eu conseguisse agarra la.

- Eu gosto tanto de ti Benjamin...

Disse baixo a olha lo. Os muros tinham me caído todos. Não valia a pena estar a tentar agarrar uma parede de tijolos quando ela está a tombar. Mais vale sair do caminho e deixa la rolar.

Eu podia argumentar outra vez. Podia arranjar mais mil desculpas para não ficarmos juntos, até porque elas existiam. Mas não queria faze lo. Queria estar bem. Queria fazer aquilo que me deixava feliz. E neste momento era ele. Era ele que me fazia feliz. Ha meses que eu era feliz por causa dele e não queria admiti lo. Mas isso ia acabar. Quando ele me disse que nao ia desistir de mim eu sorri. Mesmo com lágrimas eu sorri. Mas que porra eu agora chorava?

- Eu não quero desistir tambem. Só não sei se isto tem algum futuro. Não quero que fiques com esperanças e depois isto afinal era so ilusão.

Sabia que não era. Era tudo real. Ele era real. O amor dele era real. E eu queria o.

- Mas tens razão.

Depois disso beijei o. Beijei o como se isso acabasse toda a conversa e dissesse todo o resto que ficou por dizer.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Qua 13 Jul 2016, 19:09

Acho que o meu coração parou de bater. É como se tudo tivesse parado naquele momento e as palavras que ela me disse estavam a repetir-se na minha cabeça durante montes de tempo como um eco.

Ela gostava de mim.

Acho que também tinha parado de respirar. Ela estava mesmo a dizer aquilo? Numa questão de segundos o meu coração começou a acelerar muito e as minhas mãos foram parar a cara dela.

Ela gostava de mim.

Ela disse que gostava tanto de mim.

- Raquel...

Disse baixo a olhar para ela com o coração acelerado. Eu estava a ouvir bem não estava? Não estava a sonhar?

Ela começou a chorar e eu comecei a limpar-lhe as lágrimas mas senti-me burro. O que é que eu dizia? O que é que eu fazia? Ela finalmente admite que gosta de mim e eu não sei reagir? Não sejas estupido, Benjamin!

Eu deixei-a continuar a falar. Porque eu sentia que ia explodir.

Ela gostava de mim!

E ela não queria desistir. E disse que eu tinha razão.

E eu não consegui controlar a pequena gargalhada que saiu de mim e eu abracei-a com força enquano ela me beijava.

Fiquei a beija-la durante todo o tempo do mundo. Porque pela primeira vez sentia que tinha todo o tempo do mundo com ela. Mesmo que ela ainda tivesse um pouco de medo. Mas eu tinha esperança o suficiente para nós os dois.

- O meu coração é todo teu. - Disse afastado os lábios dos dela por um segundo. - Eu sou todo teu.

E nunca disse anda com tanta confiança e com tanta sinceridade na minha vida.

E saber que ela acreditava nisso... Deus... Deixava-me tão feliz.




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Convidado em Sab 16 Jul 2016, 20:59

Eu acho que já tinha dito aquilo que queria dizer. Aliás tinha até dito muito mais! Coisas que eu nunca esperei vir a dizer mesmo. Nunca na vida. Mas não conseguia parar de sorrir.

- Pronto, pronto, menos!

Tinha de recuperar alguma da minha sanidade mental, se é que ainda me restava alguma. Mas continuava agarrada a ele como se fosse uma lapa.

- Mas ninguém pode saber. Ok?

Não sabia porquê, mas isto era importante para mim. Ninguém saber da nossa... Bem... Relação? Era isso que era agora? Sabia que ele não gostava dessa parte, mas não era como se toda a gente, principalmente os pais dele, fossem aceitar isto. Também não é como se eu quisesse saber da opinião deles para alguma coisa, mas mesmo assim.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Ter 19 Jul 2016, 19:54

Não conseguia parar de sorrir a olhar para ela. Ela era tão linda. E ela gostava de mim. Eu mal conseguia conter a minha alegria!

- Desculpa não consigo.

Ri me com o coração aod saltos e passei os braços pela cintura dela e dei lhe montes de beijos no pescoço e na cara. Não conseguia parar de a agarrar e ela também não.

- OK... Se achas melhor...

Disse sincero acena do e estendi a mão fazendo lhe uma festa na cara a sorrir. Eu meio que entendia. Não so ela era mais velha que eu como os meus pais também não gostavam dela. Na verdade os meus pais a odiava.... Não que isso va mudar alguma coisa. Eu vou mudar o pensamento deles. Um dia. Mas por enquanto isto chegava me. Ela sempre ia me chegar.

- Então... - peguei na mão dela a sorrir - queres namorar comigo?




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Convidado em Qua 20 Jul 2016, 00:15

Tenho de admitir que tinha piada vê-lo assim. Vê-lo assim feliz por minha causa. Apercebi-me de que era isso que eu queria. Vê-lo feliz. Eu queria fazê-lo feliz. Ainda bem que ele concordou com o não contar a ninguém. Eu era bem mais velha que ele e além disso os pais dele já se sabe o quanto me odeiam.

- Sim...

Fiquei surpresa com a rapidez com que respondi à pergunta dele. Ele tinha mesmo perguntado aquilo. E eu tinha dito que sim. Ele era meu. Era todo meu. Já era antes, segundo ele, mas agora era diferente. Ele sabia o que eu sentia. Só consegui beija-lo e abraça-lo.

Queria dizer-lhe obrigada mas não me saiu nada. Mas acho que não era preciso também. Ele entendia-me. Aliás, ele entendia-me melhor que ninguém. Tinha muitas dúvidas quanto a um futuro com ele e no entanto queria muito que ele fizesse parte da minha vida. Eu acho que o amo e isso não se manda fora.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Qui 21 Jul 2016, 22:36

Ela respondeu-me tão rápido. Eu pisquei os olhos um bocado. Não estava à espera que ela respondesse tão depressa. Pensei que a tinha de convencer. Já tinha um discurso preparado à meses para a convencer em namorar comigo.
Mas ela disse logo que sim.

Ela era minha namorada!

Eu não conseguia parar de sorrir. Ela era toda minha... Ela estava apaixonada por mim. Foi o que ela disse...

As minhas mãos foram parar à cara dela enquanto nos beijavamos e eu não conseguia acreditar que isto estava mesmo a acontecer.

- Eu estou mesmo feliz...

Não resisti em dizer com as mãos na cara dela a dar-lhe montes de beijos. Eu já nem queria saber do jantar. Eu queria a levar para a cama agora e fazer amor com ela.




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Convidado em Sex 22 Jul 2016, 14:53

Eu juro que ele parecia uma criança a quem tinham dito que o natal tinha chegado mais cedo. Tenho de admitir que vê-lo assim tão feliz encheu-me o coração. Algo dentro de mim, no meu coração, ficou preenchido. Só queria aceita-lo e tentar ser feliz também.

- De certeza que queres isto?

Eu sei que era uma pergunta ridícula e repetitiva mas mesmo assim.

- Tu sabes todos os contras disto tudo.

Mas nada parecia demovê-lo. Era bom sentir isso. Agarrei-me ao pescoço dele e retribui logo quando ele me beijou. Mas como é que este miudo me conseguia acender em dois segundos? Eu sei que parece piroso mas eu sei que é amor. Tenho a certeza que só pode ser amor, desejar assim alguém.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Benjamin Redbird Malfoy em Sex 22 Jul 2016, 22:42

Quando ela perguntou me se eu tinha a certeza que eu queria aquilo eu olhei para ela um pouco confuso mas depois sorri lhe, passando as minhas mãos nas costas dela.

- Claro que eu quero isto. Eu sei de todos os contras mas também sei o que sinto por ti e o quanto te quero só para mim...

E beijei a novamente, sentindo as mãos dela no meu pescoço segundos depois. Nada de nada ia me afastar dela agora. Nem os meus pais nem ninguém. Eu amava a. E nada ia mudar isso.

Levantei me e peguei nela ao colo, já sem conseguir resistir mais. Eu queria a agora. Depois aqueciam os a comida no microondas ou assim.

- Hoje dormes comigo... - disse com um meio sorriso e beijei lhe o pescoço deitando a na cama.

Fui logo tirar a minha própria camisola antes de me deitar em cima dela e de a beijar. Eu não a queria a largar por nada. Não conseguia de parar de a agarrar. Não que ela quisesse que eu parasse. Ela estava tal e qual como eu.




Benjamin Redbird Malfoy
Novato

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sala das Necessidades

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 07:28

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 11 de 12 Anterior  1, 2, 3 ... , 10, 11, 12  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum